palestras

washi

 Galeria de imagens:

palestra_to...
palestra_tosa-washi 1 palestra_tosa-washi 1
palestra_to...
palestra_tosa-washi 2 palestra_tosa-washi 2
palestra_to...
palestra_tosa-washi 3 palestra_tosa-washi 3
palestra_to...
palestra_tosa-washi 4 palestra_tosa-washi 4
palestra_to...
palestra_tosa-washi 5 palestra_tosa-washi 5
palestra_to...
palestra_tosa-washi 6 palestra_tosa-washi 6
palestra_to...
palestra_tosa-washi 7 palestra_tosa-washi 7
palestra_to...
palestra_tosa-washi 8 palestra_tosa-washi 8
palestra_to...
palestra_tosa-washi 9 palestra_tosa-washi 9
palestra_to...
palestra_tosa-washi 10 palestra_tosa-washi 10
palestra_to...
palestra_tosa-washi 11 palestra_tosa-washi 11
palestra_to...
palestra_tosa-washi 12 palestra_tosa-washi 12
palestra_to...
palestra_tosa-washi 13 palestra_tosa-washi 13
palestra_to...
palestra_tosa-washi 14 palestra_tosa-washi 14
palestra_to...
palestra_tosa-washi 15 palestra_tosa-washi 15

Desenho e Inteligência VisualO processo de produção artística continuamente exige decisões que não são puramente conceituais ou que não estão relacionadas unicamente a materiais ou técnicas. O desenvolvimento e a prática de uma inteligência visual, não verbal, se faz necessário durante a execução de uma obra de arte tanto figurativa quanto abstrata, seja ela desenho, pintura, escultura, instalação, fotografia ou vídeo. Quanto maior for a inteligência visual maior a probabilidade da obra mostrar qualidades como ressonância, intensidade emocional, força expressiva, sutiliza, impacto, riqueza simbólica, evocação poética, atração visual sustentável etc. A inteligência visual se desenvolve através da prática contínua e concentrada da arte com foco direcionado na construção e ampliação de um vocabulário dentro da linguagem visual. É fundamental no trabalho de artistas plásticos, designers, arquitetos, fotógrafos, produtores de vídeo e todos aqueles cujo trabalho dependa da linguagem visual.

 

Dentre as linguagens visuais, o desenho é especialmente eficaz no desenvolvimento da inteligência visual devido à sua simplicidade, natureza processual e imediatismo. Artistas visuais frequentemente fazem uso do desenho não só para comunicar mas também como uma potente ferramenta para geração de ideias.

 

Ao desenhar, pode-se confrontar com um limiar que não é facilmente ultrapassado devido a inseguranças, cansaço aparente, medo de errar, falta de preparo etc. Isso pode criar frustração e falsa sensação de incapacidade de ir além. Exercitar o lado direito do cérebro abre a oportunidade para vivenciar um novo estado de consciência extremamente criativo e fértil. Através do desenho, desenvolve-se de uma atitude visual inovadora que se encontra escondida atrás da consciência cotidiana; abre a possibilidade para vivência de processos únicos com resultados surpreendentes.

 

10mar - 2014 - 20:00h
I.Bot
Entrada franca 

 

Não é necessário ter experiência prévia com desenho.

Conecte se conosco!

                          

R. Rev. Francisco Lotufo, 652
Centro - Botucatu/SP                   

ibot.contato@gmail.com

ibot@institutobotucatu.org.br